quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Desafio das 250 Músicas #09 + #TurnTheWorldTeal

Eu encontrei este desafio musical no blog Starships and Queens, da Ana L. Alves, que por sua vez pegou no Champagne Supernova. Pelo que eu vi, cada pessoa está com um método diferente para responder as 250 perguntas (lista completa aqui), e eu farei da seguinte maneira - cinco questões respondidas por semana, em um único post na segunda-feira. A Garota no Hall também já fez este desafio! Confira aqui.

Créditos da imagem: Blue Jazz, by Pochi-mochi.

41 - Uma música com medley: em Abbey Road, de The Beatles: You Never Give Me Your Money; Sun King; Mean Mr. Mustard; Polythene Pam; She Came in Through the Bathroom Window; Golden Slumbers; Carry That Weight; The End:

*vídeo não-oficial, encontrado no YouTube*

42 - Uma música que você nunca ouviu ao vivo mas quer muito: *tem várias músicas de artistas de jazz que quero demais, entretanto, as estou "guardando" para outros itens do desafio!* Jumpin' Jack Flash, de The Rolling Stones:


43 - Uma música que use um instrumento que você considera exótico: Uzu (渦), de Kagrra; - instrumento: koto:


*vídeo não-oficial, encontrado no YouTube*

44 - Uma música que você considera influente: Bohemian Rhapsody, de Freddie Mercury, interpretada por Queen: *não tinha como escolher apenas um destes vídeos*


*vídeo não-oficial, encontrado no YouTube*


45 - Uma música que te lembra um hobby seu (especifique qual): Never Ending Story, de Giorgio Moroder e Keith Forsey, interpretada por Limahl - hobbie: ler:



Dia 07 de outubro é o dia internacional de conscientização da nevralgia do trigêmeo (saiba mais aqui). Eu quero falar mais durante todo o mês de outubro sobre minhas experiências pessoais com a doença. 


Estou lendo o livro The Pain Survival Guide: How to Reclaim Your Life (APA Lifetools), de Dennis C. Turk, Ph.D., e Frits Winter, Ph.D. e, embora eu irei falar mais sobre ele quando terminá-lo, durante este mês quero colocar aqui alguns trechos que chamaram a minha atenção:

"Ereryone has pain at times. The reassuring thing about most pain is that it will usually jo away with time. A sports injury and its resulting pain, such as an elbow injured during a casual game of tennis, will eventually heal with resting that part of the arm. Once the pain has ceased for the weekend tennis player, the suffering is soon forgotten.
For most people, it is unthinkable that pain will never go away. That is part of why they don't understand the plight of those who experience chronic pain.
Even those with chronic pain don't like to think of it as such. If we admit to having
chronic pain, it means admitting it will last a long time or perhaps will never go away at all.
It's scary to think that way, and such thinking can also make the pain seem even worse.
If doctors have been stymied and called your pain 'treatment-resistant' or 'chronic,' you may have asked yourself, 'Have the doctors been defeated by my pain?' 'Have they given up on me?' 'Am I condemned to a life of inactivity, anger, helplessness, suffering, and despair?' These are normal but very depressing thoughts!"

Informações:

Series: APA Lifetools
Paperback: 203 pages
Publisher: American Psychological Association (APA); 1 edition (September 1, 2005)
Language: English
ISBN-10: 1591470498
ISBN-13: 978-1591470496

#TurnTheWorldTeal for #trigeminalneuralgia

:)

Nenhum comentário: