sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Sobre amizades

Esta semana a Lu escreveu sobre amizade sob um aspecto tocante, totalmente diferente e que não tem relação alguma comigo. Mas, egoísta como sou, irei puxar o assunto pra mim.
Eu não sou uma boa amiga. Não sou. E, diferente do que algumas pessoas irão achar/supor/ter certeza, esta não é uma afirmação para buscar elogios gratuitos do tipo - "não, você é uma excelente amiga!"

Eu sempre senti que não sou uma boa amiga, ou boa o suficiente (esta segunda parte é pelo meu perfeccionismo tolo). 

Eu deixo as pessoas na mão. Eu fico meses sem vê-las. Eu esqueço datas importantes ou de responder mensagens (celular, redes sociais, e-mails, o que seja). Eu sou a pior pessoa que eu conheço para dar conselhos. Sério. Eu nunca sei o que dizer.

Em minha defesa, eu adoro ouvir. Você pode desabafar comigo a noite inteira, eu irei escutar e me importar. Eu sofro quando meus amigos sofrem, eu penso neles sempre, eu me pergunto se estão bem, felizes. Quando eu digo "só quero que você seja feliz", eu falo sério.

Mas eu não estou presente.
Ok, eu tenho uma doença crônica, sinto dores todos os dias - e algumas épocas vivo um verdadeiro Inferno -, e blá-blá-blá. E isto pode justificar muitas ausências.
Mas não todas.

Não irei me autoanalisar e dizer que é devido ao meu problema em confiar nas pessoas, introversão, problemas em me expressar, traumas passados, etc.

Este post tem unicamente o propósito de me lembrar que eu prometi melhorar.

Este post é meu lembrete pessoal, nada mais.

...

Um comentário:

Alessandra disse...

Te entendo, sabe? Eu sou horrível para lembrar datas, e sempre esqueço de responder mensagens. Ou então, simplesmente sumo. Mas não acho que isso nos faça sermos amigas ruins... Afinal, quando é necessário e quando a situação realmente nos chama, estamos lá para nossos amigos. Firmes e fortes. Sinceros e amáveis.

http://dosdiascorridos.wordpress.com