segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Passeio: Exposição O Fantástico Corpo Humano

Em janeiro deste ano, eu e a mestra fomos à exposição OUR BODY The Universe Within em Orlando, FL.

FOX 35 News Orlando


Sou obcecada pela anatomia humana, pelo funcionamento do corpo. Fico completamente maravilhada pela perfeição e complexidade. E, desde que eu tomei conhecimento pela primeira vez deste método de preservação, eu precisava ir a uma dessas exposições.

Infelizmente não consegui ir das vezes que ela veio para São Paulo mas, finalmente pude ver a Our Body em Orlando e, semana passada, a exposição em Campinas, O Fantástico Corpo Humano, com meu noivo lindo e minha cunhada.

Informações do site:

9 galerias levam os visitantes através do corpo humano.
12 corpos completos, em poses confortáveis do nosso dia-a-dia, ilustrando todos os sistemas de uma forma dinâmica.
150 espécimes de órgãos ajudam os visitantes a conhecer mais a fundo as estruturas de cada sistema.
Informações prestativas para visitantes de todas as idades – da escola primária a faculdade de medicina.
Um passeio cultural e educativo para toda a família.


Comprei o livro-catálogo da exposição brasileira!


Eu tive sorte de poder ver as duas - são diferentes espécimes -, e aproveitar o máximo. Porém, tenho algumas observações sobre as diferenças entre elas:
A exposição de Campinas é mais espaçosa, o que facilita muito a locomoção quando está mais cheia. Porém, em Orlando tinha cerca de quatro pessoas além de nós duas, e entramos em horários diversos, ou seja, não nos "encontrávamos" na mesma área ou na frente do mesmo espécime.

Em Orlando, eles nos avisaram sobre a importância de respeitar os corpos, de entender que eram pessoas, e por isso não se admite fotos, tocar, etc. Foi até bonita a explicação deles, sobre o respeito que os visitantes precisam ter. No Brasil, por sua vez, só informaram "nada de celular ou câmeras", e é claro que tinha celulares tocando durante todo o tempo que ficamos lá (ao menos, pelo que presenciei, ninguém parecia estar filmando ou tirando fotos).

Os espécimes são diferentes - afinal, a de Orlando ainda está aberta, além de outras ao redor do mundo -, o que fez com que ambas as experiências fossem surpreendentes para mim.

Em Orlando havia o Audio Tour Experience, que foi fantástico. Cada pessoa carrega uma espécie de rádio e, em cada legenda de espécimes há um código, uma frequência que você pode colocar para ouvir explicações e curiosidades. Infelizmente não teve em Campinas. Enriqueceu muito nossa visita - eu ouvi TODOS! -, foi uma experiência incrível!

Em Orlando havia mais patologias para observarmos.

No Brasil, ao invés do audio tour, haviam monitores, voluntários, pessoas da área da saúde para tirar eventuais dúvidas. Não sei se foi o fato de termos ido à noite ou pela falta de interesse dos visitantes, mas não vi nenhum respondendo dúvidas, e eles também não pareciam solícitos. 

Em Campinas tinha um nervo trigêmeo separado, com legenda explicativa (ah, como eu queria que algumas pessoas vissem e lessem!). Eu já tinha visto em um laboratório de anatomia e tinha na Our Body, mas nunca separado desse jeito. Foi uma experiência mais emocional pra mim. 

Aqui no Brasil, além estar mais cheia, vimos inúmeras demonstrações de "falta de educação" e desrespeito.

Desculpem-me, mas preciso falar sobre isso. Os visitantes precisam entender que são corpos, órgãos, espécimes reais, e o processo de preservação é extremamente delicado e frágil. Em minha opinião, é algo óbvio que devemos ter o mínimo de respeito, e fiquei muito triste com as coisas que vi.
Sinceramente, não sei o que foi pior - a falta de respeito dos visitantes ou os monitores/fiscais/voluntários presenciarem algumas dessas coisas e não se manifestarem. Vimos de tudo - piadas sexuais, comentários racistas e machistas, pessoas debruçadas nos vidros (e sujando os vidros, e batendo nos vidros), pessoas encostando nos espécimes, tendo inclusive uma mulher alisando o abdome de um.
Eu fiquei chocada. Realmente não sei onde ou para quem esse tipo de comportamento é aceitável. Foi triste presenciar.

Odeio falar de coisas ruins que acontecem aqui, especialmente comparar com outros lugares. É horrível ter a experiência de presenciar que em outro lugar as coisas são melhores ou mais organizadas. Ou há um senso de respeito maior.

Porém, em nossa defesa, eu sei que essas foram minhas experiências, de dois dias isolados. Eu vi brasileiros extremamente educados e, embora não tenha presenciado, tenho certeza de que há muitas pessoas lá tão ou mais desrespeitosas do que aqui.

Entristece ver esse tipo de coisa em qualquer lugar, e certamente acontece em qualquer lugar. Todavia, quando é nosso povo, em nosso país, nos sentimos particularmente tristes.

Como eu gosto muito da área de investigação criminal - aliás, é minha especialização -, medicina legal, etc., acabo vendo e estudando muito, e é insuportável pra mim ter conhecimento desse tipo de desrespeito. Seja em um laboratório de anatomia, uma exposição como essa ou sobre crimes. Mexe demais comigo, então, novamente, desculpem meu desabafo.


Apesar de tudo, a noite foi fantástica, foi outra experiência impressionante para mim. E certamente visitarei outra exposição do tipo quando tiver a oportunidade.

Nesta noite também passeei com meu noivo e minha cunhada - com direito à chopp, Starbucks e, um cheesecake (estava louca por um há semanas!):

 
Com doce-de-leite!

E, para descontrair, ao invés de um look do dia, farei um "acessórios do dia":


:P

Observação: a exposição em Campinas foi prolongada até 07/09!

Nenhum comentário: