terça-feira, 9 de abril de 2013

Quebrando preconceitos: "Barriga negativa" ou boa forma?

Fonte das imagens: Instagram (colocarei o de cada uma a seguir).

Vocês devem estar cansados de ouvir que eu fui magra, abaixo do peso ideal minha vida inteira, usei o size 0 e blábláblá. Então mudarei de abordagem. Não irei falar de mim.

Durante minha vida inteira, ao longo dos anos, tive amigas magras. Não, não só magras. MUITO magras. Magras "nível modelo", size 0 mesmo. Magras estilo "só consigo encontrar roupas no departamento infantil". E, ainda sim, pessoas super saudáveis.

E sei que mais saudáveis do que eu jamais fui. Pessoas que foram magras desde a infância e continuam magras beirando aos trinta, e comendo de tudo. Comendo bem, sendo que algumas até fizeram "tratamento para engordar" durante a adolescência. E não engordam. E continuam saudáveis, felizes... e magras.

Eu tive amigas acima do peso com anemia, e amigas magras sem um problema sequer. Ou, em contrapartida, magra com colesterol alto.

Algumas pessoas magras, no geral, não querem abusar da sorte de serem magras, e resolvem se cuidar. Para ter o corpo mais tonificado, serem mais saudáveis, fugirem do sedentarismo. Então cuidam da alimentação, malham, praticam esportes. Nada mais correto, afinal, toda pessoa deveria se cuidar, certo?

Porém, parece que para muitos a resposta seria não. Você é magérrima e está na academia? É anoréxica. Você é magérrima e está comendo direito? É anoréxica. Você é magérrima e tem orgulho do seu corpo? Anoréxica, anoréxica, anoréxica!

O pior acontece se você é famosa: está dando mau exemplo para as meninas, pois, a mesma sociedade que te julga se você engordou meio quilo, e passa a te chamar de cheinha, fofinha e gordinha, é a que te chamará de magra demais, barriga negativa, mau exemplo e "preocupante" se você perder este mesmo meio quilo.

As mesmas pessoas que dizem que um peso normal e saudável é sinônimo de cheinha, são as primeiras a chamar uma pessoa magra (não importa o quão saudável seja) de anoréxica.

Anorexia mudou de um problema sério de saúde para um adjetivo, uma ofensa.

E é o que está acontecendo agora com Carol Magalhães, Gimenez e Galisteu. Sempre foram magras, com trabalhos como modelos e, de repente, o simples fato de mostrarem seus corpos com orgulho, e mostrarem que se alimentam direito e se exercitam, virou sinônimo de "em busca da barriga negativa" e "estariam elas anoréxicas?".

Algum lugar comparou esta foto da Gimenez com uma de sua época de modelo, mostrando que seu corpo está igual. Seu corpo está igual mas AGORA ELA ESTÁ MAGRA DEMAIS. Qual a lógica? 

Se você tem - seja conquistando ou naturalmente - o corpo que todo mundo sonha, que todas as revistas de boa forma "ensinam" em fórmulas mágicas, que todo mundo diz ser o ideal, você tem que esconder? Se você tem orgulho você é anoréxica?

Eu sempre irei ser a favor, acima de tudo, da saúde. A pessoa precisa ser saudável e feliz, não importa o corpo que tenha. Mesmo que esse corpo - Oh, que Deus me perdoe! - seja o corpo que a maioria da sociedade considere o ideal!

:)

Nenhum comentário: