quinta-feira, 26 de julho de 2012

Flórida, de novo??? - Parte #01

Aviso importante nº01: Este NÃO É UM PUBLIPOST. Estou fazendo os posts do Vamos falar de Disney? por prazer. Não estou ganhando descontos, brindes, muito menos viagens (quem me dera!) pra falar sobre o assunto. Nem de parques, nem de guias/livros/sites, nem de lojas. Pronto, acho que já esclarecemos isso, então vamos lá! :P






Hoje irei focar na resposta para a pergunta do título SOMENTE em relação aos parques e atrações.

Eu não quero dar informações erradas aqui, então irei dizer apenas que muitos guias, livros e sites discordam do tempo que você precisaria ficar na cidade de Orlando para conhecer todas as atrações. Porém, o que eles dizem é sempre acima de dois meses seguidos (alguns falam em seis!), sem poder repetir nada.

Isso sem contar os diferentes hotéis, restaurantes, bares e casas noturnas, etc. Resumindo: esqueça a idéia de que você poderá ir pro Walt Disney World e conhecer todas as atrações. *sim, mesmo se não tiver filas*

Some isso aos fatos de que há eventos especiais em cada época do ano, que constantemente os parques temáticos estão fazendo alterações, retirando e incluindo atrações, e que ainda há parques e atrações em cidades vizinhas e próximas. Ou seja, talvez você tenha a chance de conhecer tudo se morar em Orlando e ir aos parques todo dia (porém, você ainda correria o risco de estar em um determinado parque e algo único e inédito acontecer simultaneamente em outro!).

Agora que eu desiludi vocês da idéia de conhecerem TUDO, farei um PARQUES TEMÁTICOS 101 aos poucos aqui, pra vocês conhecerem cada um melhor. Agora somente uma check-list:

Exercícios com o Wii!

Em minhas 12 metas para 2012, a meta nº02 diz respeito a fazer mais exercícios (ou seja, os feitos no Wii). Infelizmente no primeiro semestre eu tive um problema de ligamento no punho direito, ou seja, sem Wii por um bom tempo. Durante este tempo, três novos jogos que comprei com a intenção de me exercitar chegaram – The Biggest Loser, Exerbeat, e o All Star Cheer Squad 2, o que me deixou anda mais frustrada por não poder jogar/me exercitar


Agora em julho eu resolvi compensar o tempo perdido. Todavia, meu braço direito não está 100%, e depois de dois dias de exercícios passei a sentir muitas dores novamente. :-( Então, novamente, estou pegando leve. 

Porém, posso afirmar que, quem faz os exercícios regularmente, com a Wii Balance Board, os aquecimentos, etc., realmente vê resultados. E, como eu estou buscando somente me movimentar, funciona perfeitamente para mim. 

:)

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Vamos falar de Disney?








Eu fui para a Flórida duas vezes – em julho de 1999, e dez anos depois, em novembro de 2009. Ultimamente tenho planejado a possibilidade de uma terceira visita (e uma quarta, quinta, quantas puder!!!).

Desde a primeira viagem, na famosa depressão pós-Disney dos meses seguintes, pensei em escrever online sobre as minhas impressões (sim, sou daquelas blogueiras que começaram – mas sempre me dá a louca de mudar o endereço e meu nickname!).

Então, como desde 2000 crio (e deleto!) blogs sem parar, essa idéia sempre permaneceu na minha cabeça. Já fiz algumas tentativas, porém nunca ficava satisfeita.

Mas, por que falar de Disney?

Eu sou uma Disney-nerd, Disney-geek, Disney-freak, ou como preferirem. Isso por si só já seria uma boa justificativa. Entretanto, por algum motivo desconhecido, eu nunca concordei com as opiniões de 99,9% dos posts que já li sobre a Flórida.

Não me levem a mal, eu respeito todo mundo – e muitos escrevem super bem, tiram ótimas fotos, etc. -, só não entendo as opiniões.

Por exemplo, eu odeio samba, axé e companhia. E odeio Carnaval. E não me levem pra nenhuma micareta! Mas há coisas em que eu não posso discutir sobre a festa do Carnaval, por exemplo: o trabalho duro, a organização, o esforço pra fazerem o “show”, a composição de músicas, o que representa pro povo, a perfeição dos carros, etc.

Então eu leio algumas coisas sobre a Flórida e fico me perguntando se eu não estou indo em algum lugar diferente dessas pessoas quando viajo.

Durante esses mais de dez anos sempre quis mudar alguns preconceitos das pessoas em relação a esse tipo de viagem.

Finalizando, eu não quero CONVERTER ninguém – como os que falam que a Disney é capitalista, machista, que o Sea World maltrata animais, etc. - Eu quero apenas mostrar para vocês (e dar muitas e muitas dicas!) o ponto de vista de alguém que realmente ama a cidade de Orlando – e outras vizinhas -, que enxerga os parques como muito além do que apenas parques de diversões ou “diversão para crianças”. Minha ambição – talvez grande demais – aqui é quebrar um pouco o clichê que as pessoas têm (incluindo fãs), além de, é claro, dividir um pouco o meu amor pelo lugar!

Aguardem os próximos posts - e enviem perguntas, se quiserem!

:)

Fonte da imagem: Tumblr (em tantos diferentes que não sei qual a real fonte - se souberem, me avisem!).

terça-feira, 24 de julho de 2012

Trauma

Sempre achei que as pessoas enfrentam as mesmas coisas de maneira totalmente diferente. Já disse isso uma vez a respeito de dor (que a pior dor que você já sentiu na vida, não importa se foi uma simples topada no dedinho, pra VOCÊ é a pior dor do mundo) e outros assuntos. 

E eu sempre me surpreendo como determinadas coisas mexem conosco e nos fazem rever todas as nossas decisões, por mais insignificantes que elas possam ser – ou parecer para os outros. 

Acredito que todos nós, seja na escola ou graduação, temos uma matéria que não gostamos, ou que temos dificuldade de entender. 

Quarto 217 responde!

Como durante o meu período de “férias” do blog eu recebi algumas perguntas em posts antigos, resolvi fazer um “Quarto 217 responde” pra tirar eventuais dúvidas. Obviamente este é um blog pessoal sobre diversos assuntos, então eu irei responder como uma leitora, fã, entusiasta, nunca como uma profissional. Por enquanto me atentarei às perguntas que chegam pelo e-mail e nos comentários (vai que de repente eu não recebo mais nenhuma pergunta, né?!), respondendo duas por vez, mas dependendo de como for vejo a possibilidade de fazer algo mais concreto. 

Anyway, como disse que essas perguntas foram feitas quando eu estava ausente, provavelmente as duas pessoas já encontraram uma resposta, mas serve pra quem eventualmente tenha interesse: 

A Debi perguntou se os livros dos boxes do Sherlock Holmes (Edição Definitiva) são em capa dura – não, eles não são. O acabamento é excelente, acredito que as capas sejam até mais firmes que as comuns, mas eles são simples. 

A Lanna perguntou se há livros da Kathy Reichs – os da série da Temperance Brennan – em português. Honestamente, eu não sei se há tradução de mais, eu tenho somente dois (os únicos que consegui encontrar): Ossos (Bare Bones) e Segunda-feira de Luto (Monday Mourning), o sexto e sétimo livros da série, respectivamente. Sempre fico de olho pra ver se há mais traduções, por enquanto não tive sorte. :-( Não estou em minha casa, então quando voltar de viagem farei um post com os dois, prometo! 



Ninguém perguntou, mas...: novamente eu gostaria de enfatizar aqui que eu nunca recebi um centavo - ou brindes, etc. - para falar sobre algum produto, qualquer que seja. Se algum dia eu fizer um publipost, com certeza vocês serão avisados.

Por enquanto é isso. Se alguém tiver dúvidas sobre eventuais posts, perguntem! Logo terei uma novidade aqui e espero que apareçam perguntas, pois adoro falar sobre o tema!

:)