quarta-feira, 20 de julho de 2011

Enquete!

Na gigantesca barra ao lado (estou trabalhando nisso, eu juro!) vocês irão encontrar uma enquete que ficará no blog por um mês, representando uma dúvida que tem me consumido: devo ou não começar a grifar meus livros?

Quero muito ouvir ler a opinião de vocês sobre o assunto. Vocês grifam e fazem anotações em seus livros? Só de lápis, só nos cantos ou abusam de canetas arco-irís sem medo de ser feliz?!

Podem responder a enquete e comentar aqui, ou em qualquer outro post! Agradecerei imensamente!




Quando eu cursava Jornalismo, grifava e fazia anotações a lápis. Mas acredito (ao menos atualmente) que apagar depois fica mais feio do que deixar suas impressões ali - elas nunca somem totalmente e pior, a borracha pode apagar o texto original!

Só voltei a grifar durante a minha monografia, no final do curso de Letras. Porém, comprei um exemplar da obra que analisaria somente para isso (uma desculpa pra comprar outra edição de meu livro favorito?!). Estabeleci uma cor para cada tema que abordaria e , ao final, o livro ficou parecido com a rainbow sheep:




Aliás, vocês sabiam que existe um livro infantil chamado Rainbow Sheep?!:

Genevieve is a little shepherdess with a big imagination. When she finds a sad, pale rainbow, she tells him funny stories until he cries happy tears and his colors return. Genevieve's sheep are caught in the colorful rain of tears and become the 'Rainbow Sheep'.

Ok, agora estou divagando!

Anyway, estou totalmente em dúvida sobre como organizar melhor minhas leituras nesse sentido. Adoro transcrever as melhores frases de cada obra que eu leio, e tenho até espaços - leiam-se journals e "cadernos fofos" - destinados isso. Mas o que fazer quando não temos nada à mão?

E o que fazer com as doutrinas e manuais de Direito que são caríssimos e lindos e morremos de dó (pelo menos eu!) de macular?

Preciso de ajuda, definitivamente!

:)

Nenhum comentário: