terça-feira, 18 de janeiro de 2011

52 livros em 52 semanas - Resenha #01

Eu até poderia incluir Os Contos de Beedle, o Bardo, em minhas leituras do Desafio Literário 2011, visto seu gênero.

Porém, como não o havia listado previamente, incluirei como o primeiro livro do Desafio 52 em 52.



Lido em 07/01/11





Rowling novamente me surpreende por sua escrita impecável.

Os Contos de Beedle, o Bardo, é uma compilação de contos clássicos infantis para bruxos, com a equivalência que os contos dos irmãos Grimm e de Andersen seriam para nós, trouxas.

A obra é ilustrada pela própria autora, e é uma combinação do livro original de Beedle, anotações de Dumbledore ao final de cada conto, e notas de rodapé e observações de J.K.Rowling, aqui como encarregada de esclarecer alguns pontos para trouxas que não possuem contato com vocabulário e conhecimento bruxo.

São cinco contos, todos muito envolventes.

1 - The Wizard and the Hopping Pot (O Bruxo e o Caldeirão Saltitante);
2 - The Fountain of Fair Fortune (A Fonte da Sorte);
3 - The Warlock's Hairy Heart (O Coração Peludo do Mago);
4 - Babbitty Rabbitty and her Cackling Stump (Babbitty, a Coelha, e seu Toco Gargalhante);
5 - The Tale of the Three Brothers (O Conto dos Três Irmãos).

A autora realmente conseguiu criar histórias com as mesmas características de NOSSOS contos clássicos dentro do universo de suas obras.

Alguém duvida que lerei estes contos para meus filhos?

J.K. Rowling evoluí a cada obra, e cada vez mais trata de assuntos sérios para leitores jovens com maestria. Sempre considerei seus livros valiosos ao abordar - além de amizade, companheirismo, etc., que todos estão *felizes* e cansados de observar - temas como preconceito, intolerância e as diferentes olhares que uma cultura e/ou sociedade podem ter sobre uma mesma questão.

Muitas vezes é bem sucedida ao descrever que pessoas podem ter visões completamente divergentes, sem significar que uma seja correta e as demais não.

Os preconceitos são abordados com uma sutileza e delicadeza incrível, sempre. É um talento de Rowling que sempre admirei, e é evidente neste pequeno livro.

É válido ressaltar, também, o impacto de alguns trechos, que Dumbledore assevera que são chocantes e repudiados por alguns bruxos conservadores. Beedle trata de morte, violência e sangue para crianças. É necessário, é contextualizado, tem um motivo e é belamente descrito. Mesmo assim, é criticado por alguns bruxos.

Em todos estes trechos eu me recordei de críticas e observações aos irmãos Grimm e a Andersen. Ou até mesmo em algumas situações em relação ao modo como o próprio Walt Disney (e Roy Disney, e a todos da The Walt Disney Company) conduzia suas animações, que sempre contiveram estes temas - entre outros polêmicos.

Falando em Disney, Dumbledore relata ao final de cada conto, algumas visões e opiniões de bruxos que criticam e apontam aspectos da obra de Beedle, como se houvesse algum interesse obscuro por trás, doutrinas e dogmas disfarçados, mensagens de apoio e suporte aos trouxas, etc. Não nos parece familiar?

Obviamente, mais do que à Disney, ou Grimm, ou Andersen, podemos nos voltar para as próprias críticas radicais aos livros de Rowling, à saga de Harry Potter.

Sempre existirão pessoas que desconfiarão do que é simples, belo e bom. Porque, seja em nosso mundo ou no dos bruxos, o medo do que não se conhece, do que é diferente, e de que algo sempre pode ser pior do que parece sempre esteve presente, sendo mais fácil crer no pior e desconfiar do que é bom, bom demais pra ser real.

:) 

3 comentários:

Nanda disse...

Aiiiiiiiiiiiiiiiii \morre gente esse livro é lindo e eu queria muito ler ele, mas ainda não consegui \morre, eu sempre digo que não consegui neah XD
mas é por que as coisas estão meio apertadas XD
Ela sempre me surpreende, amo a escrita dela gente.
eu com certeza lerei ^^

HGR disse...

Adorei o post, e quero muito ler esse livro após a saga de Harry Potter.

Ana disse...

OI Paty. Primeira vez que comento aqui mas sempre leio seu blog.
Adorei esse livro. Achei fofinho mas adulto de uma certa forma, assim que terminar de ler "Comer rezar amar" vou reler novamente.
beijinhos